Opinião

  • 22/05/2018

    Qual amor te move?

    Qual amor te move?
    Reprodução de quadro de Eugène Delacroix, a Liberdade Guiando o Povo
    O fato é que, gostem ou não, da origem à ideologia de fato, do discurso à prática, o que diferencia a direita da esquerda é o que move ambos

    É comum hoje ouvirmos falar em fulano é de esquerda, cicrano é de direita e beltrano é de centro. O que talvez não seja de conhecimento de todos é que os termos esquerda e direita surgiram na Revolução Francesa, em 1789 onde, quem estava à direita do plenário (girondinos) , passou a representar o lado conservador, que pretendia manter o poder da elite e buscar medidas de gerar o bem estar individual.Já quem estava à esquerda do plenário ( jacobinos ) reivindicava o fim dos privilégios, eram favoráveis à luta pelos direitos e o bem estar coletivo.

    O relato acima é superficial,sem a pretensão de se aprofundar inclusive no fato de que ambos, girondinos e jacobinos, iniciaram a revolução do mesmo lado como “revolucionários”, mas o bastante apenas para citar a origem terminológica de esquerda e direita. Porém, muito distante da compreensão da origem da polarização entre BEM x MAL, EXPLORADOS x EXPLORADORES, MOCINHOS x BANDIDOS, ESQUERDA x DIREITA.

    O bem e o mal parecem dois opostos claros e distintos, mas na verdade são dois estados, duas percepções diferentes que temos. São o que nos tornamos ao longo de toda a nossa vida, valores, crenças adquiridos espontânea ou imposta pela realidade de cada um.Onde definimos o bem e o mal, de cada um?

    Existe uma guerra, não tão invisível, mas silenciosa nos dias de hoje.Jovens pobres, desempregados, sem cultura, sem lazer e sem esperanças, são presas fáceis do crime organizado. Esses são os jovens negros, executados, que aparecem nas midias para satisfazer a classe média paneleira (a mesma que apoiou e sustentou o golpe de 64, aplaudindo a cada desaparecimento de um “esquerdista” nos porões da ditadura). Esses são os rotulados como maus, bandidos e a escória da sociedade.

    Aqueles que a esquerda defende.

    A periferia enfrenta diariamente a guerra patrocinada pelo tráfico e pelas organizações criminosas e uma guerra ainda mais cruel, a patrocinada pelo Estado. O Estado que se vale do sistema legal, do sistema judicial, do sistema prisional , que usa as milícias travestidas de policiais, também constituídas de pobres, para reprimir e matar os jovens negros de comunidades. É um sistema brutal de repressão, perseguição e guerra.

    Quem nos deu o poder de definir entre o certo e o errado?

    Quem nos rotulou como gente de bem ou gente do mal?

    Quem nos define somos nós. E o que nos define não são os rótulos, mas as ações.

    Conheço muitos rotulados de direita com um coração imenso e muitos discursos de esquerda com práticas fascistas, machistas e homofóbicas.

    O fato é que, gostem ou não, da origem à ideologia de fato, do discurso à prática, o que diferencia a direita da esquerda é o que move ambos. O primeiro é movido pelo interesse individual, o segundo pelo coletivo.Um é movido por amor próprio o outro por amor à humanidade.Qual é o amor verdadeiro? Qual amor te move?

    Adriana Kalckmann
Ver índice de opinião
Adriana Kalckmann #@titulo@#

Coordenadora do Sismuc

Últimos Artigos do Autor

Ver todos os artigos desse autor

Artigos Relacionados

Nenhum registro encontrado.

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475     E-mail: sismuc@sismuc.org.br

DOHMS