Notícias

Imprimir
  • 24/09/2021 Educação

    Coletivo de Educação Infantil expressa preocupação com retorno 100%

    Coletivo de Educação Infantil expressa preocupação com retorno 100%
    Servidores deixam claro que os CMEIs não têm condições de cumprir os protocolos. Sindicatos já levaram denúncias ao MP e ao MPT

    Professoras da educação infantil se reuniram em coletivo virtual nesta sexta-feira (24) para discutir o retorno autorizado para 100% das crianças para os CMEIs. A dificuldade em seguir os protocolos é a grande preocupação da categoria já que, infelizmente, a realidade dos CMEIs é muito diferente do que é mostrado nas propagandas da gestão.

    O espaçamento necessário entre as crianças é um dos pontos principais de preocupação, já que as salas não têm espaço para manter o distanciamento mínimo de um metro entre crianças. Além disso, o SISMUC reforça que para a educação infantil é necessário respeitar também o espaço da criança de 1,5m², de acordo com a deliberação SESA 162/2005.

    No entanto, nos relatos do coletivo fica claro que isso está muito distante da realidade. Em alguns casos, o espaço seria de apenas 30 cm!

    Por isso, o SISMUC já levou as denúncias que demonstram que o protocolo é impossível de ser seguido com 100% dos alunos à Promotoria de Educação do Ministério Público do Paraná (MP-PR) e ao Ministério Público do Trabalho (MPT). O Conselho Municipal de Educação (CME) também foi questionado pelo sindicato com relação ao retorno e, mais uma vez, o conselho foi omisso com relação a esse retorno 100%.

    Além disso, a comissão local continua com a responsabilidade de monitorar e fazer cumprir os protocolos, como expressa o item VII do ofício circular da SME (veja no box ao lado). Por isso, é importante também que os servidores cobrem que a comissão se envolva no processo e estejam atentos aos protocolos. Todos os problemas enfrentados na unidade devem ser registrados na ata da comissão.

    É evidente que no sistema 100% presencial e com a grande adesão das crianças, a realidade será de descumprimento das medidas sanitárias, colocando em risco a vida e a saúde das crianças e dos trabalhadores das unidades educacionais.

    Então, é importante que os trabalhadores da educação conversem com a comunidade e compartilhe as dificuldades enfrentadas, para que os familiares possam se unir à luta. O sindicato vai produzir materiais que sirvam de apoio para a campanha dos servidores na sensibilização da comunidade escolar, para que os familiares acompanhem o que está acontecendo com as crianças nas unidades. A mobilização dos servidores é a principal força nessa luta.

    Canal de denúncias

    Para que o sindicato continue a cobrança do cumprimento dos protocolos, o SISMUC reforçou a importância de que os servidores denunciem. Envie sua denúncia aos canais oficiais pelo Fala, Servidor no whatsapp (41)99661-9335 ou pelo canal de denúncias da Educação no WhatsApp (41) 99988-2680 ou pelo link http://bit.ly/DenúnciaEducação. É necessário que essas denúncias tragam sempre informações concretas, que possam comprovar o descumprimento dos protocolos.

    Comunique também à Frente Parlamentar do Retorno Seguro às Aulas, composta por vereadores da Câmara Municipal de Curitiba, pelo e-mail retornosegurocmc@gmail.com e pelo WhatsApp (41) 3350-4622.

Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS