Notícias

Imprimir
  • 02/03/2021 Educação

    Em audiência com MPT, sindicatos reforçam pedido por ação judicial

    Em audiência com MPT, sindicatos reforçam pedido por ação judicial
    Arte: Ctrl
    SME ignora a situação crítica da pandemia em Curitiba e não comparece à audiência com os trabalhadores

    Nesta terça-feira (2), o SISMUC e o SISMMAC estiveram presentes em mais uma reunião com o Ministério Público do Trabalho (MPT). A audiência, que tinha como objetivo debater as denúncias apresentadas pelos sindicatos e os riscos das atividades presenciais nesse momento crítico da pandemia, aconteceu sem a presença da Secretaria Municipal de Educação (SME), que não apareceu de última hora.

    Os sindicatos aproveitaram a audiência para cobrar que o MPT entre com uma ação judicial contra a Prefeitura, exigindo que o retorno presencial seja condicionado à vacinação de todos os trabalhadores da educação. Além disso, mesmo com a vacinação é necessário que a administração se responsabilize e garanta medidas de proteção à saúde, como o fornecimento de água, espaço para o distanciamento social, número máximo de alunos em sala de aula, ventilação adequada, entre outras medidas.

    A falta da SME na reunião só confirma aquilo que os sindicatos já vêm demonstrando para a categoria há tempos: a administração não se importa com a vida dos trabalhadores. E é por isso que a SME usou da desculpa esfarrapada de que as aulas estão paralisadas para não comparecer à audiência. O que a Secretaria tenta esconder é que as unidades escolares continuam funcionando com trabalho presencial mesmo após o Decreto Estadual 6983/2021 e o Decreto Municipal 400/2021orientarem a prioridade para o trabalho remoto, colocando trabalhadores administrativos, apoios pedagógicos, inspetores, diretores e trabalhadores da limpeza em risco.

    Conhecendo a realidade das unidades escolares, é fácil perceber que não existe uma forma segura de retornar às atividades presenciais sem a vacinação. E por isso, mais uma vez, os sindicatos usaram o espaço para cobrar que as unidades permaneçam fechadas nesse período crítico de disparada no número de casos de Covid-19 em Curitiba e no restante do país. Também reivindicaram que os servidores da educação retomem o trabalho remoto e que as unidades só abram para a entrega dos kits de alimentação, com garantia de revezamento entre os trabalhadores para reduzir o risco de contágio.

    Os dados coletados pelos Sindicatos nas últimas semanas, através das denúncias do funcionalismo, mostram que mais de 37 unidades escolares já tiveram casos de Covid-19 entre estudantes e trabalhadores. Muitas unidades escolares também já denunciaram a obrigatoriedade do trabalho presencial, mesmo ciente do colapso da saúde a SME decidiu manter grande parte dos servidores nos locais de trabalho, mesmo sem necessidade. Além disso, ainda existe a falta de diálogo com muitas chefias para realizar o revezamento entre servidores em momentos necessários como as entregas dos kits alimentação.

    É importante continuar denunciando! Com esses dados, os Sindicatos conseguiram mostrar mais uma vez ao MPT a real situação dos casos de Covid-19 nos locais de trabalho. Além disso, é preciso que os servidores mostrem sua força através das denúncias para que possamos cobrar que a Prefeitura suspenda as aulas presenciais até a vacinação de todos os trabalhadores da educação.

    Faça sua denúncia pelo WhatsApp pelo (41) 99988-2680 ou pelo link bit.ly/DenúnciaEducação

    Imprensa Sismuc e Sismmac
Voltar para o Índice

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouças, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

DOHMS