Opinio

  • 22/06/2018

    Aumento da conta de luz injusto, avalia DIEESE-PR

    Aumento da conta de luz  injusto, avalia DIEESE-PR
    O aumento de 15.99% reflete uma poltica voltada para os acionistas
    Por DIEESE/PR
    Na ltima segunda-feira (19/06), a Agncia Nacional de Energia Eltrica (Aneel) autorizou o aumento mdio de 15,99% nas tarifas de energia eltrica da Copel a partir do dia 24/06, para os consumidores de baixa tenso o aumento mdio ser de 15,13%, j para os consumidores da alta tenso a elevao ser de 17,55%. Para os consumidores residenciais B1, o aumento ser de 15,06%. Este reajuste significativo foi influenciado principalmente pelo aumento expressivo dos custos no gerenciveis, entre eles o custo da aquisio de energia, que foi influenciado pelos baixos nveis dos reservatrios e tambm pelo acionamento das usinas termoeltricas.


    Importante destacar que no perodo de junho de 2017 a maio de 2018 o IPCA est acumulado em 2,86%, ou seja, considerando o reajuste de 15,06% a ser aplicado nas tarifas residenciais, o aumento real para os consumidores ser de 11,86%.


    Paranaenses pagam mais

    No perodo recente os ndices de inflao na regio de Curitiba tm apresentado variaes acima da mdia nacional, nos ltimos doze meses terminados em maio de 2018, o ndice de Preos ao Consumidor Amplo (IPCA) nacional est acumulado 2,86%, enquanto que o ndice em Curitiba foi de 2,99%, a terceira maior elevao, atrs apenas de So Paulo (3,31%) e de Porto Alegre (3,20%). Portanto, o aumento do custo de vida na capital paranaense est acima do verificado em outras localidades, impactando diretamente para a reduo significativa do poder aquisitivo dos trabalhadores paranaenses.


    O aumento das tarifas de energia eltrica de 15,06% para os consumidores residenciais, ter impacto expressivo sobre a inflao na capital paranaense, contribuindo desta forma, para a manuteno da inflao em Curitiba ser maior do que a mdia nacional. Alm disso, nota-se que os aumentos tanto das tarifas de gua e esgoto quanto da energia eltrica, esto muito acima de qualquer ndice inflacionrio, e tambm no so condizentes com os aumentos conquistados pelos trabalhadores nas negociaes salariais.


    Poltica para acionistas

    A populao paranaense observa na Copel somente uma empresa que tem obtido resultados econmicos financeiros expressivos nos ltimos anos, com crescimento expressivo da receita e a manuteno de lucros bilionrios. Porm, os nmeros extremamente positivos no se refletem em uma tarifa mais justa para os usurios, muito pelo contrrio, a cada ano os aumentos verificados oneram ainda mais o bolso dos trabalhadores, principalmente aqueles mais pobres, contribuindo para a queda do seu poder aquisitivo, ainda mais em um cenrio econmico caracterizado por uma recesso, aumento do desemprego e queda da renda dos trabalhadores.


    A manuteno do lucro bilionrios da empresa, favorecido pelos expressivos aumentos tarifrios dos ltimos anos, tem beneficiado principalmente os seus acionistas, em detrimento dos consumidores e dos trabalhadores. Situao que foi potencializada pela alterao na regra de distribuio de dividendos do lucro lquido, que at o ano de 2010 o percentual era de 25% (mnimo legal), j passando para 35% em 2011 e 50% em 2013. Entre 2011 e 2017 foram distribudos em dividendos para os acionistas da Copel a cifra de R$ 3 bilhes.

    DIEESE
Ver ndice de opinio
DIEESE #@titulo@#

O Departamento Intersindical de Estatstica e Estudos Socioeconmicos uma instituio de pesquisa, assessoria e educao do movimento sindical brasileiro.

ltimos Artigos do Autor

Ver todos os artigos desse autor

Artigos Relacionados

Nenhum registro encontrado.

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba
Rua Nunes Machado, 1577 - Rebouas, Curitiba - PR. CEP: 80220-070     Fone/Fax: (41) 3322-2475 | (41) 98407-4932     E-mail: sismuc@sismuc.org.br
Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h s 18h.

DOHMS